Reticências.

reticencias-1-1080x837

Nesse looping de memórias, o que queima minha mente são suas palavras. Mas o que realmente arde é o seu silêncio.

Você não foi atrás de mim. Não se defendeu. Virou as costas e com isso também virou a página do livro da sua vida que continha a nossa história, sem terminar de lê-la. Me congelou no tempo e no espaço e também no seu coração, deixando o meu ferido e gelado.

Por causa da leitura de vários romances, me acostumei com histórias que possuem começo, meio e fim. E acho que a maior parte do meu desassossego no último mês toda vez que penso em você se deve à grande tenuidade que se criou entre o durante e o final. Nosso fim possui uma data, mas não possui uma consumação. Não proferimos palavras de adeus. Deixamos tudo subentendido, mas minha alma nunca soube lidar com o que não fosse direto e claro. Continuo imaginando o que poderíamos ter sido e não fomos. Continuo criando um universo paralelo em que tudo dá certo como naquele futuro utópico que imaginávamos para nós antes de a realidade bater na nossa cara como uma bofetada.

Entretanto, cada dia é mais suportável lidar com esse vácuo que você criou e eu permiti que se expandisse. Ouvi em uma notícia de esportes sobre como o desempenho de um time durante o campeonato pode ser até mais importante do que a colocação que ele alcança no fim, e aquilo me soou tão profundo que levei para além do futebol. O próximo passo é me tornar filósofa de embalagem de shampoo. Eu, que me acostumei com as últimas palavras dos livros serem “e viveram felizes para sempre” seguidas de um enorme “FIM” que cobria a página inteira para não deixar dúvidas de que aquilo era uma certeza absoluta, descobri que, além de o mundo não ser um conto de fadas, coisas boas não tem um fim e ponto final. Ou continuam até definharmos, ou terminam no meio de uma sentença e deixam o restante flutuando no ar com um grande talv…
Acho que é porque nosso durante foi tão incrível que a melancolia me consome diariamente. Não posso fingir e dizer que esquecerei de tudo, que não significou nada. Uma das provas da sua existência é o meu coração apertado pela falta que eu sinto de você e a lição que aprendi baseada em toda a sua frieza. Você sempre será uma parte de mim, como um lembrete que eu guardo em um baú para abrir e ler quando uma onda de nostalgia me abater, e ficar imaginando comigo mesma “e se?”.
Anúncios

Comente o que achou da postagem. Dê dicas, sugestões e ideias também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s