Resenha: O Futuro de nós dois – Jay Asher, Carolyn Mackler

Nome original: The Future of Us
Ano: 2013
Escritora: Jay Asher e Carolyn Mackler
Editora: Galera Record
Páginas 384
Saga a que pertence: Volume único

É uma leitura que nos faz entender um pouco mais sobre ação e reação: Tudo o que fazemos hoje em dia, até mesmo os nossos desejos, afetam o futuro.

Emma acaba de ganhar seu primeiro computador do pai ausente, como presente de consolação pelo nascimento do seu meio-irmão… com outra mulher. O ano é 1996, e as funcionalidades da máquina são muito diferentes das de hoje em dia: a internet é discada e cara, existem poucas opções de entretenimento, entre outras coisas. Apesar de Emma estar se divertindo com a escolha do descanso de tela de tijolinhos e outras personalizações, Josh, seu ex-melhor amigo, resolve aumentar sua felicidade presenteando-a com um CD da AOL com 100 horas de internet grátis, que ele não usa já que não possui um computador. Porém, a surpresa vem quando Emma coloca o disco e abre o navegador: uma aba intitulada Facebook abre instantaneamente, revelando uma Emma e Josh… 15 anos mais velhos. Cada ação deles gera uma reação no futuro, e eles querem fazer de tudo para que tenham o futuro que sempre sonharam.

Esse livro provavelmente tem um impacto nostálgico muito grande para os adolescentes da década de 90. Eu nasci no fim disso, mas como essa era ainda não tinha acabado – pelo menos até 2005/2006, tenho apenas alguns flashes de memória, e alguns deles aconteceram durante a leitura deste livro. Quando eu tinha cerca de 7, 8 anos, nós fizemos nosso primeiro plano de internet, então a internet discada é uma lembrança vaga na memória (lembro muito bem do barulho da internet conectando, do Mario Bros e do site da UOL).

Gostei muito dos pontos filosóficos da história. Da história em si, nem tanto. O melhor dela é o crescimento de todos os personagens, como eles começam a ver o mundo de forma diferente, entendem o que aconteceu no passado, param de julgar as coisas de uma forma qualquer – com o olhar de quem vê a situação de fora, mesmo estando dentro do círculo -. Isso é muito interessante. Eu acredito em destino sim, e quando terminei de ler esse livro o primeiro pensamento que passou pela minha cabeça foi: “A Emma e o Josh nunca teriam crescido e se entendido assim se não houvesse o Facebook”. Faltou diálogo, por isso a “separação”, e só um acontecimento catastrófico como este para unir os dois novamente. Achei a narrativa um pouco fraca, infelizmente, apesar de os autores alternarem entre os capítulos a narração da Emma e do Josh. Se o contexto e a ideia principal não fossem tão bons, teria desistido da leitura na metade.

É o livro perfeito para quem quer lembrar dos tempos de infância, para dar valor à tecnologia de hoje, pra curtir uma trilha sonora linda dos anos 90, ou apenas para quem está cansado de sagas e quer ler um romance juvenil sem se apegar ❤

52 semanas – Eu sempre…

tumblr_m3p99fHA6k1qam88po1_500

Novamente estou com essas postagens atrasadas. Não faço a menor ideia de como vou arrumar isso porque é realmente complicado fazer uma tag por semana, imagina duas. Estava planejando fazer duas durante essa, mas quando vi que o tema era Eu Sempre… desisti, já que realmente leva tempo para fazer esse tipo de postagem. É incrível como nós vivemos falando “Eu sempre faço isso”, “Eu sempre digo aquilo”, mas quando é hora de colocar no papel (computador), parece que alguém pegou sua memória e apagou ela completamente. Mas, enfim, veremos isso mais tarde. Primeiro, vamos ver 5 coisas que Eu Sempre…

tumblr_lor1za2KtA1qzj9kk

1. Eu Sempre… Vou amar Harry Potter.: Harry Potter faz parte da minha infância e adolescência, e eu quero e sei que vai fazer parte de toda a minha vida. Podem sim ter livros melhores, mas acho HP uma saga completa, com tudo o que é necessário e ainda mais para ficar no coração de todo mundo, durante muito tempo. A forma como tudo, desde o primeiro livro, se conecta ao que acontece no sétimo é impressionante, e realmente complicado de fazer. Tia Jô, você ganhou meu coração (Chega de falar disso ou vou acabar dissertando sobre os motivos de amar HP)!

tumblr_mqkn6gNffU1ry2hq3o1_500

2. Eu sempre… Estou lendo mais que um livro ao mesmo tempo.: Eu gosto de ler mais que um livro, acho que exercita mais a mente, é prático e nunca nos faz cair na monotonia. Por exemplo, agora eu estou lendo Como eu Era Antes de Você, Eu sou o número Quatro e Memórias de um Sargento de Milícias. São histórias completamente diferentes, o que me permite pirar um pouco em cada uma.

tumblr_m9xrhdGeUV1rfiqc9o1_500

3. Eu sempre… Danço sozinha que nem louca.: Principalmente quando tenho que lavar a louça aqui em casa. Se eu vou fazer algo que eu não gosto, porque não tornar mais agradável adicionando música? Coloco o som bem alto e danço enquanto lavo os pratos. É muito bom!

tumblr_lj22zmIidT1qealwto1_500

4. Eu sempre… Estou com fome.: A não ser quando eu já comi. O fato é que eu sou extremamente gulosa, e preciso me controlar pra não estar sempre comendo algo, porque não é nem um pouco saudável para o meu corpo. Compenso toda a comida mais calórica com bastante salada e exercícios (Just Dance, caminhada, dançar durante a louça) =D. Espera um pouquinho, já volto, vou buscar a minha bolacha! (É bolacha, não biscoito ASHUDHSAD)

tumblr_inline_mq31a4usrw1qz4rgp

5. Eu sempre… Quero aprender sobre tudo um pouco.: Eu sempre sigo aquele ditado: Saiba um pouco de tudo, e não tudo de pouco. Adoro aprender sobre coisas novas, e foi assim que conheci sobre o Tim Burton, Jane Austen e várias outras coisas. Tenho uma lista no meu computador, e entre as coisas marcadas estão: Adobes, OneRepublic, Sherlock Holmes, A Bela e a Fera, Os Três Mosqueteiros e James Dashner. Quero virar uma fã de carteirinha com tudo na ponta da língua, HDUASHDSAU.

Bom, é isso. Na semana que vem o tema é: Os melhores filmes infantis que já assisti (MUITO FÁCIL. Já sei citar dois ou três de cabeça =D);

Beijos,

Au revoir!

Comparando: Adaptações de Orgulho e Preconceito – The Lizzie Bennet Diaries

the_lizzie_bennet_diaries_by_tetra_zelda-d5oe0s1

Oi! Talvez você não me conheça – já que eu certamente sou uma cara nova por aqui – mas o meu nome é Larissa. Eu sou de São Paulo, sou escritora. Mas nada disso interessa agora, afinal, não foi por isso que a Nyne me convidou. Estou aqui hoje pra falar de outra coisa, algo que acabou se tornando especial pra nós duas. Uma websérie que virou hit, mas que antes disso ninguém confiava que fosse dar certo.

tumblr_n58t6uE4531tq4of6o1_500

Você já ouviu falar em The Lizzie Bennet Diaries?

Há dois anos atrás, quando ela começou, a resposta da maioria seria que não. Mas depois de mais de cem episódios, um Emmy e muitos fãs por aí, muita gente já mudou essa resposta pra sim. Talvez até pra um com certeza bem entusiasmado. Eu fui uma das poucas que teve o prazer e o privilégio de vir a conhecer Lizzie Bennet e seus vlogs logo que eles foram lançados. A nossa história começou na primeira metade de 2012, quando uma amiga marcou eu e mais um monte de gente num vídeo compartilhado na sua timeline do Facebook. My Name is Lizzie Bennet era o primeiro episódio que abriria espaço para outra centena.

tumblr_mgu1i1BdvU1s3fblro1_400

Comecei a assistir meio que na surdina. Aquela amiga e outras em comum eram as únicas pessoas que eu conheciam que assistiam a série. Fui fisgada logo no primeiro episódio. Ele não tinha nada demais – só algumas atrizes num quarto improvisado, luz e maquiagem deixando a desejar, mas com um roteiro rápido e divertido e uma edição esperta. Elizabeth Bennet, aka Lizzie, era uma moça de 24 anos que estava na pós-graduação em Comunicação, começando um vlog como parte de sua tese. Sua mãe tinha pânico de que as filhas terminassem a vida solteironas, e tentava de tudo para lhes conseguir um marido – de preferência rico, jovem e bonito, mas ela não era sempre tão exigente assim. E sua irmã caçula, Lydia, entrava em quadro pra dizer que alguém (um tal de Bing Lee) havia acabado de se mudar para um casarão na vizinhança, uma mansão conhecida como Netherfield.

Soa familiar?

Fiquei mais e mais animada à medida em que percebi o que estava acontecendo. Não precisei ler a descrição dos vídeos pra entender que alguém tinha tido a maravilhosa ideia de trazer Orgulho & Preconceito para os dias modernos e, melhor ainda, para o Youtube. Toda segunda e quinta-feira, eu me dedicava a atualizar o feed do Youtube, esperando pelos novos vídeos. A cada episódio, eu ficava mais e mais fascinada.

tumblr_mv1w5oyeII1qb9is3o2_500

Não lembro em que altura do campeonato uma garota – até então quase desconhecida, apenas amiga de uma amiga – descobriu nossa fissura em comum, e decidiu me arrastar, quase sem convite, para o seu novo projeto: uma fanpage no Facebook dedicada aos fãs, tanto da série quanto do livro. Quando o Socially Awkward Darcy nasceu, nenhuma de nós esperava que a coisa crescesse tanto em tão pouco tempo; mais de duas mil curtidas só no primeiro dia. Foi quando percebi que não tinha mais como voltar atrás, mesmo que eu quisesse. TLBD já era mais parte do meu dia a dia do que as aulas da faculdade, e espalhar o amor pela série era mais que minha obrigação. Foi mais ou menos nessa época que eu resolvi que ia começar a legendá-la.

A ideia inicial era fazer as legendas em português para que uma grande amiga minha pudesse assistir. Calhou o destino que, no fim das contas, todo mundo menos ela aproveitasse o meu trabalho; enquanto os vídeos subiam de algumas dezenas para várias milhares de visualizações, ela, a única que eu pretendia que assistisse, nunca teve tempo de ver. Paciência. Eu já estava com as duas mãos atadas e a corda até o pescoço, mais de trinta episódios atrasada e com inúmeras pessoas me cobrando pelos próximos. As traduções se tornaram um projeto paralelo em que eu investia grande parte do meu tempo. E, inegavelmente, foram elas que selaram a importância da série pra mim.

tumblr_my1n34ONPu1r68d1so1_500

Depois das legendas, mais e mais pessoas começaram a aparecer – algumas que já assistiam no canal original e descobriram que eu gostava, outras que começaram a ver por minha causa. Nosso grupinho foi crescendo, e eu comecei a conseguir aqui e lá uma ajudinha pra avançar mais rápido nas traduções. Já no final daquele ano, surgiu o primeiro grupo (e talvez, até hoje, o único) de discussão de TLBD no Facebook, na época batizado de TLBD-BR. Eu não estava mais sozinha. Cada episódio era uma tortura de sentimentos, mas uma tortura sofrida em conjunto, com centenas de comentários e surtos e teorias. Sofrer com gente que pensa como você é indubitavelmente mais divertido. Eu estava onde sempre quis estar.

Através do SAD e do nosso pequeno, mas crescente grupo de discussão, fiz amizades inesperadas e valiosas. TLBD pode ter nos unido, mas em algum momento, ela não foi mais suficiente – vieram outras séries, outros livros, outros vícios, outros assuntos. Deixamos de nos encontrar só às segundas e quintas e passamos a buscar a companhia online umas das outras todos os dias, pra todas as horas. Fomos dos assuntos mais felizes às confissões mais dolorosas. Confiamos e crescemos umas com as outras. Muitas já deixaram de ser usuárias do twitter e amigas do Facebook pra tomarem rostos e vozes de verdade, ao vivo, nos vários encontrinhos que organizamos aqui e ali. Em algum momento, o virtual tomou uma proporção tão real que a gente não podia mais conter na tela do computador.

tumblr_mj5odg1YEi1rhlv47o1_500

Você deve estar se perguntando porque falei tão pouco sobre a série em si, e tanto sobre… todo o resto. Quando a Nyne me convidou pra fazer esse post, eu fiquei vários dias me perguntando o que, exatamente, eu pretendia escrever. Resolvi, por fim, que falar de TLBD – a websérie, era muito fácil, muito simples. Qualquer um que tenha assistido pode fazer isso; é só jogar no google e uma dezena de posts de blogs e sites vai aparecer pra você. Mas falar do que foi pra mim, da mudança que ela significou na minha vida, do que acrescentou e do que transformou, é algo que só eu posso fazer.

TLBD existiu em doses homeopáticas por um longo e maravilhoso ano da minha – das nossas – vidas, mas apesar de a série ter terminado no início do ano passado, deixou pra trás um legado que vai muito além dos episódios, das legendas e dos milhares de posts reblogados no tumblr. Deixou pra trás muitas histórias, como essa aqui, pra contar. Criou amizades que eu espero levar pra vida inteira. E deu luz nova a um livro que fez a minha vida e a de várias outras pessoas.

Você já ouviu falar em The Lizzie Bennet Diaries? Se ainda não, a hora é essa. Clique aqui e vai logo conhecer 😉

Dance Battle – Harry Potter vs Twilight

Venho aqui rapidinho mostrar esse vídeo pra vocês, porque ele é simplesmente INCRÍVEL. Acabei de assistí-lo, e vou dar replay e replay toda hora a partir de hoje! Como eu sou uma grande fã de HP, acho que eles venceram (sou super imparcial, nossa) \o/

Enfim, chega de blá blá blá, dá play no vídeo e sinta o momento!

 

Esse é o Behind the Scenes:

ATUALIZADO: Achei a coreografia também YAAAAAAAAAAAY:

Para baixar essa música, clique aqui: iTunes / Amazon

Letra/Tradução:

Yo, we the Hogwarts crew (É, nós somos o bonde de Hogwarts)
Gotta wand that I know how to use  (Temos varinhas que sabemos como usar)
Expecto Petronum
Back up, you vamps don’t know us (para trás, vocês vampiros não nos conhecem)
Uh, now you in for a treat  (Uh, agora vocês estão dentro para uma surpresa)
Power up, time to bring heat (Energia, hora de esquentar)
Stupify, time to die (Estupefaça, hora de morrer)
These woods ain’t big enough for you and I (Esses bosques não são grandes o suficiente para nós dois)

Have you seen my face?  (Vocês está vendo meu rosto?)
Do I care bout your witchcraft game?  (Acha que eu ligo para o seu jogo de bruxaria?)
Yeah right, no way  (É, pois é, sem chance)
Keep playin’ dress-up all day  (Continue brincando de se vestir o dia todo)
So hot, so mythical  (Tão quente, tão mítico)
Jaw drop, lookin’ so pitiful  (Queixo caído, olhando lamentavelmente)
We are invincible (Nós somos invencíveis)
We are the pinnacle (Somos o auge)

Get down, get down below  (Desça, desça mais baixo)
Light, light (Luz, luz)

Yo, we the Hogwarts crew  (É, somos o bonde de Hogwarts)
Gotta wand that I know how to use (Temos varinhas que sabemos como usar)
Avada Kadavra
So long, yep I gonna blast ya (Até logo, é, eu vou explodir você)
Uh, now you in for a treat  (Uh, agora vocês estão dentro para uma surpresa)
Power up, time to bring heat  (Energia, hora de esquentar)
No suprise, time to die (Sem surpresa, é hora de morrer)
These woods ain’t big enough for you and I (Esses bosques não são grandes o suficiente para nós dois)

Breakin’ it down, (Rebolando,)
Get down, get down below (Desça, desça mais para baixo)
Light, light (luz, luz)

– Scott & Brendo

Amei compartilhar isso com vocês!

Beijos ♥

52 semanas – Super poderes que eu gostaria de ter se fosse um super herói

tumblr_n7x52ohCQ41sp9kdto1_500

Oi oi gente! Hoje, triste com a derrota do Brasil, venho contar pra vocês os 5 super-poderes que eu gostaria de ter se fosse uma super-heroína! Um deles seria poder voltar no tempo e dar umas dicas pra Seleção Brasileira sobre o jogo, mas não vou colocar isso porque foi melhor assim, 2018 tá aí, e o Hexa vai chegar. Enfim, as escolhas são um pouco óbvias, mas sinceras ❤

tumblr_my5jw7qlOy1s1ja2mo1_500

1. Omni-linguista.: Esse poder é usado pela Mulher Maravilha, e nada mais é do que a habilidade de falar todas as línguas possíveis. Seria perfeito!  Eu tenho facilidade em aprender línguas novas, porém eu não sinto vontade de aprender línguas como chinês, alemão, até mesmo espanhol. Estou me esforçando no inglês e francês, meus idiomas favoritos, mas é só.

tumblr_mrwxvc7KHt1scofzfo1_400

2. Dar vida aos objetos.: Esse é o melhor! Se eu pudesse dar vida aos objetos, daria vida à um aspirador de pó, vassoura, esponja, e todos esses objetos de limpeza para nunca mais me preocupar com uma casa sujinha. Fora que o computador, impressora e esses aparelhos eletrônicos poderiam nos contar onde eles tem problema, e os livros poderiam virar áudio-books, PENSE NISSO! É muita perfeição.

tumblr_n1aqfpwpHY1qm9efio1_500

3. Aparatar.: Tá, a tag fala sobre super-heróis, mas eu tenho duas explicações possíveis: 1. Harry foi um tipo de super-herói. 2. Esse poder também pode ser conhecido como teletransporte, que É UM PODER SE SUPER-HERÓIS. Mas, enfim, esse aqui é só amor também. “Vamos escolher nossas férias?” “Sim. Vamos para Paris?” “Vamos!” PUFF. O cheiro de café, croissant, crepes e tudo o mais invade o ar e lá está você olhando para a Torre Eiffel. Que sonho ❤

tumblr_mfk1sj4fHB1rpd7pyo1_500

4. Metamorfomagia.: Esse poder aí também existe no mundo dos super-heróis, mas eu esqueci o nome. Outro poder incrível que mudaria a nossa vida. Cansei de ser loira, agora vou ter o cabelo… rosa chiclete! Em 5 segundos, sem amônia, sem stress, lá está você com um cabelo novo. Isso é muito, muito legal! E é válido para passar desapercebida por lugares, escapar de situações constrangedoras, etc. HASUDHSAUD

tumblr_mpmy73CyUo1sppmago1_500

5. Comunicação e manipulação dos animais.: Eu não sei se o primeiro poder inclui poder falar com animais (eu sei que você disse AWWWWWNNN no gif acima, a não ser que tenha pensado: Cuidando bem da janta), portanto coloquei esse aqui por último. Seria incrível poder falar com os bichinhos, que nem o Dr. Dolittle faz. Eu tenho um hamster agora (Tobias ♥), e tenho que admitir: É extremamente difícil adivinhar o que eles querem. Eles abrem a boca só pra comer, os olhos não tem expressão, e eles adoram te morder (até quando você está tentando colocar ração nova dentro da gaiola). Minha mão está mutilada (exageraaaaaaaaaada) graças àquela bola de pêlos de 5 cm de comprimento, mas eu continuo amando ele e tentando entendê-lo. ❤