Projeto Frapê, Verão e Livros #1 – Curiosidades

Olá povo! Como vocês estão?
Hoje eu vou falar sobre um projeto bem legal que eu idealizei. Como o blog tem o nome Cappuccino, Inverno e Livros, ele ficaria meio deslocado já que hoje, dia 21, começa o verão. Pensei, pensei e pensei e finalmente achei uma ideia que fosse realmente interessante para não fazer o blog suar com esse calor. Como mudar o nome do blog estava fora de cogitação, decidi criar um projeto em meio às postagens normais do blog. Nomeei este projeto de Frapê (Um milk shake com café), Verão (Nossa estação) e Livros (O assunto do blog não muda). A ideia é que toda semana eu venha aqui no blog e poste sobre algum assunto relacionado com o verão, como dando dicas de livros para ler nas férias, ideias de presentes para pedir no Natal, receitinhas fáceis de ensinar e refrescantes para os dias mais quentes, táticas de sobrevivência no calor, como cuidar dos seus livros na praia, entre muitas, muitas outras coisas. Pretendo fazer esse projeto todo ano, então teremos muitos assuntos a tratar durante as férias!

 

Para iniciar o projeto, decidi falar de um assunto bem simples: Curiosidades sobre o Verão. 

 


Curiosidades sobre o Verão!
Créditos: “Mais que Curiosidade” e “Guia dos Curiosos”

 

1. Foi uma ideia do norte-americano Benjamin Franklin, em 1784, para economizar velas. No entanto, só foi levada a sério mais de um século depois, durante a I Guerra Mundial. A Alemanha, em 1916, foi o primeiro país a adotar a medida.
2. No Brasil, entrou em vigor pela primeira vez entre 3 de outubro de 1931 e 31 de março de 1932, por iniciativa do então presidente Getúlio Vargas. Chamava-se “Horário de Economia de Luz no Verão”, e englobava todo o território nacional. 
3. Nos 18 anos seguintes, o Horário de Verão foi desconsiderado. Em 1985, voltou a ser aplicado, devido a uma queda nos reservatórios de água das usinas hidrelétricas. Desde então, vigora todos os anos.
4. Alguns povos antigos dividiam o ano em cinco estações: outono, inverno, primavera, o verão propriamente dito – de tempo quente e chuvoso – e o estio – de tempo quente e seco – palavra que originou o termo “estiagem”.
5. Quando o horário entra em vigor, os relógios são adiantados em 1 hora. Ao seu término, eles devem ser atrasados em 1 hora.
6. O Horário de Verão inicia-se tradicionalmente na segunda quinzena de outubro. No entanto, em 2006, o 2º turno das eleições presidenciais fez com que o Horário de Verão “atrasasse” 3 semanas, começando no dia 5 de novembro. O motivo? O medo de que provocasse problemas no funcionamento das urnas eletrônicas. 
7. O Horário de Verão começa aos domingos (dia não útil), para que a população consiga ajustar seu relógio biológico. 
8. O Horário de Verão não é adotado pelas regiões Norte e Nordeste. Isso acontece porque elas ficam mais próximas da Linha do Equador, onde os dias e as noites têm a mesma duração ao longo do ano. Assim, adiantar os relógios em 1 hora traria uma economia pouco significativa. A programação da televisão brasileira, no entanto, é adiantada em 1 hora nesses estados, já que segue o horário de Brasília.
9. O Horário de Verão é responsável por uma economia de 1% a 5% da energia elétrica consumida no país. Isso pode parecer pouco, mas não é: corresponde a uma economia de 50 milhões de reais nos gastos públicos com energia. 
10. Cerca de 30 países são adeptos do Horário de Verão. Grande parte deles está no hemisfério Norte, onde, no verão, o sol costuma se pôr mais tarde. Nesses países, adiantar os relógios em 1 hora faz uma grande diferença na economia de energia, já que permite luz solar até perto das 22h. 
11. Se você ouvir o termo DST nos Estados Unidos, não confunda com a sigla para Doença Sexualmente Transmissível. É assim que eles chamam o Horário de Verão (“daylight saving time”).
12. A temperatura mais alta registrada no Brasil durante o verão foi 43º C na cidade do Rio de Janeiro no ano de 1984. A maior temperatura ambiente, no entanto, foi registrada na localidade de Azízia, na Líbia: 58º C
13. A estação mais violenta do ano no Brasil é o verão. Pesquisas demonstram que agressões, assassinatos e acidentes de trânsito ocorrem com maior frequência durante os meses mais quentes, principalmente dezembro. 
Anúncios